Categorias
Debates Educação Vortex

Uma simples ferramenta tem tudo para otimizar ainda mais as aulas na sua escola. Ficou curioso, né? Confira!

Eles facilitam o entendimento acerca de assuntos que são ministrados em sala de aula. Possibilitam um reforço precioso no repertório argumentativo por parte de quem mergulha neles profundamente. Além disso, funcionam como ferramentas que tendem a dinamizar o processo de ensino e aprendizagem, proporcionando também aos professores uma chance de medir de forma mais assertiva “o nível de eficiência” das aulas em si. Sim, hoje o Blog da Vortex Educação irá tratar da importância que os debates têm em sala de aula e de como eles podem ser devidamente incentivados por parte dos educadores.

Mais benefícios em pauta

Outros aspectos positivos podem ser associados às vivências em sala de aula norteadas por debates. Eles estimulam a construção do pensamento crítico, reforçam conceitos importantes como os de respeito, organização e empatia junto aos estudantes, ajudam os jovens a perderem o medo de se expressarem diante de outras pessoas (melhorando aspectos relacionados à oratória, ao senso de autonomia e até mesmo à autoestima) e podem ajudar os jovens a se tornarem cidadãos mais conscientes e antenados especialmente com temas que, se bem explorados, podem suscitar importantes transformações no meio social.

Vale ressaltar que a argumentação (baseada em fatos, dados e informações oriundas de fontes confiáveis) é uma das 10 competências gerais da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) – o que reforça a importância dessas práticas em prol do conhecimento.

Mas como um debate saudável e eficiente pode ser viabilizado de forma propriamente dita em sala de aula?

Um bom planejamento é o primeiro passo – devendo haver, para tanto, uma seleção prévia acerca do tema a ser trabalhado (com participação dos alunos).

Na sequência, uma seleção de materiais de apoio que possam auxiliar os jovens na construção dos argumentos a serem utilizados é importante. A turma pode ser dividida em grupos e algumas atividades podem ser pensadas (tendo por base o material selecionado) no intuito de que os alunos possam ficar mais familiarizados com o assunto e mais preparados para o momento do debate. Nesse ponto, cabe ao professor um trabalho de monitoramento e de suporte com relação às possíveis dúvidas que possam emergir por parte dos alunos.

Passado esse momento, é fundamental que os objetivos do debate fiquem evidentes e que algumas regras sejam reforçadas. Uma questão pode vir à tona e servir como “ponto de partida”, mediante o qual os estudantes possam ser envolvidos na discussão proposta. Especialmente nessa hora o professor deve incentivar a participação de todos – além de fazer questionamentos, complementar raciocínios e até mesmo prestar reforços positivos com relação a determinados comentários mais assertivos que, por ventura, forem realizados.

Para finalizar, um levantamento acerca das principais aprendizagens que vieram à tona deve ser feito, além da viabilização de um momento que possibilite aos alunos darem feedbacks a respeito do debate. Essa avaliação deve ser feita de forma conjunta e de modo a estabelecer inclusive uma relação do tema debatido com outros conteúdos. Como diria o escritor francês Joseph Joubert, “a meta de uma discussão ou debate não deveria ser a vitória, mas o progresso”. E quando tal progresso ocorre no transcorrer do processo de ensino e aprendizagem, o mundo inteiro agradece ainda mais.