Categorias
DiaMundialDoMeioAmbiente Vortex

O ser humano que cuida da natureza, cuida de si (e dos outros!) ao mesmo tempo: fique por dentro da importância do Dia Mundial do Meio Ambiente

Diminuição dos mananciais (que são fontes de água, superficiais ou subterrâneas, que podem ser usadas em nosso favor); inundações; mudanças climáticas; extinção de espécies; erosões; destruição da camada de ozônio e mais: tudo isso é consequência dos desmandos protagonizados por nós, seres humanos, contra a natureza. Por isso, levando em consideração esse quadro que só se agrava à medida que o tempo passa, o dia 05 de junho foi a data escolhida para que uma “reflexão de caráter global” venha à tona de forma anual no intuito de que a nossa relação com a natureza possa se tornar algo cada vez mais sustentável, equilibrado, inteligente. Essa data, por sua vez, passou a ser conhecida como o Dia Mundial do Meio Ambiente.

A origem do Dia Mundial do Meio Ambiente 

A Organização das Nações Unidas – ONU, no distante ano de 1972, durante a Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente Humano – realizada em Estocolmo – instituiu o dia 05 de junho como um marco fixo para que todos nós fiquemos mais atentos à importância (imensurável!) que se associa à preservação da natureza. Àquela altura, não eram exatamente raras as pessoas que pensavam que os recursos naturais eram inesgotáveis, “infinitos”. E também por causa dessa constatação se chegou à conclusão de que algo deveria ser feito (ainda bem).

Como vivenciar essa data na sua escola?

São muitas as possibilidades que podem ser aproveitadas nesse sentido. Considerando-se, por exemplo, os alunos da educação infantil, esse pode ser um dia para que seja viabilizado um contato ainda maior, mais próximo destes com a natureza (algo que deve ser buscado durante todo o ano, e não apenas nessa data em específico, diga-se de passagem). Atividades lúdicas, contações de histórias, plantios de mudas (no caso de haver espaço propício para tanto na escola, claro) e até mesmo a construção de uma horta e/ou jardim são outras práticas bastante interessantes nesse contexto.

Já com relação aos demais estudantes, podem entrar em cena também as exibições de documentários e filmes acerca desse tema, tais como: “Nosso Planeta”, “Saving the Amazon”, “Em Busca dos Corais”, “Blackfish – Fúria Animal”, “Solo Fértil”, “Honeyland”, “Cowspiracy: O Segredo da Sustentabilidade”, “O Sal da Terra” e muito mais. Basta que se observe a indicação etária de cada obra e pronto! A maioria delas pode ser acessada através de plataformas de streaming.

Medidas simples que fazem toda diferença  

Não, não é “nada de outro mundo” a busca por práticas que melhorem a nossa relação com a natureza. Pode soar clichê, mas o fato é que medidas simples têm tudo para fazerem total diferença nesse contexto. Que tal algumas sugestões?

Vamos começar pela preservação das árvores, pelo “não” ao desmatamento e, claro, pelo “não” às queimadas. Não realizar caça ilegal, ou mesmo a sempre lamentável “pesca predatória” é outro ponto a ser observado. Para quem quiser ter animais silvestres, por favor, atentem-se aos registros (do contrário o tráfico de animais será fortalecido). O uso consciente de água e de luz, a prática da reciclagem sempre que possível, a preservação dos cursos d’água e o uso mais consciente acerca de meios de transporte que emitem uma carga acentuada de dióxido de carbono para a atmosfera constituem outras atitudes preciosas que certamente agradarão bastante ao meio ambiente.

Em resumo, o ser humano que cuida da natureza, cuida de si (e dos outros!) ao mesmo tempo. E sua escola (tal como as famílias dos alunos) pode (m) ser grande (s) aliada (s) do processo de conscientização que gira em torno da preservação ambiental.